quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Condicionantes

Depois de um dia improdutivo e inútil, mas meio cansativo, peguei um chocolate -eh pseudo leitor, as vezes é o único remédio- o controle da tv e deitei no sofá. Como sempre, nada de bom. E o que é pior, nada de assistível. Resolvo deixar na novelinha teen mesmo. Para o horário não poderia ter cena mais clichê: o rapaz e a mocinha conversando numa espécie de pracinha / parquinho. Ele um bad boy que já aprontou horrores, mas que se rendeu aos sentimentos e resolveu se declarar e virar um bom rapaz. Ela uma mocinha que sofreu um bocadinho, muitas vezes pelas amarções do bad boy em questão. Ceninha mais deprimente, cheia de blábláblá, chata mesmo. Até que de repente uma frase infeliz pronunciada pelo atorzinho de quinta chamou a minha atenção. Ele disse algo mais ou menos assim "Preciso de você para ser feliz..." No mesmo instante penso "ninguém precisa de alguém para ser feliz". Pronto. Morreu o assunto. Levantei e fui fazer outra coisa. Depois de um tempo a frase e a conlusão a que cheguei voltam à minha cabeça e os pensamentos aleatórios começaram a brotar. Algumas questões surgiram. Pra resumir vou logo a principal: Por que as pessoas impõem condições para a própria felicidade? Não entendo a razão pela qual as pessoas acham que só serão felizes se ficarem com tal pessoa, se comprarem tal coisa, se morarem em tal lugar, se tiverem tal emprego, etc. Imagino que ter essas coisas ajude a ser mais feliz, mas que elas não são o fator determinante. Do alto dessa minha idade toda, percebi que se preocupar demais em ser feliz ou em encontrar a felicidade não nos faz felizes. Acho até que pode nos afastar da dita cuja. Ter um(a) namorado(a) pode até deixar mais de bem com a vida, mas isso não quer dizer que vai deixar mais feliz. Ter aquele emprego pode deixar a vida mais confortável, o que também não quer dizer que vai deixar mais feliz. E por aí vai. Não sei até quando vou pensar dessa maneira. Pode ser só um estado. Pode ser que na próxima paixonite ache que encontrei o amor e serei feliz eternamente. Pode ser algo permanente. Pode ser até sinal de que a maturidade tá vindo pra ficar. O que eu sei é que não condiciono mais - ou pelo menos tento - a minha felicidade a coisas e pessoas. Simplesmente vivo. Não, a minha intenção não é fazer um discursinho de auto ajuda. Tampouco dizer o que é felicidade ou como consegui-la. Não, não estou me preocupando e nem sendo atormentada por questões existenciais. É porque simplesmente não acho legal essa história das pessoas acharem que dependem de algo pra ser feliz ou não. Bem piegas, mas acho que a própria felicidade só depende de cada um.

6 comentários:

astrojiudo disse...

acho que você precisa escrever um blog "aleatóreo" pra poder ser feliz... hehe

Thata disse...

...ou não...

Eliza disse...

Discordo de você. Ter um namorado nem sempre deixa a gente mais de bem com a vida. :P

Thata disse...

pois é, pois é, pois é
;D

Luz disse...

Quem disse que ter alguém tem que ser limitado a namorado?

Pode ser amante, profissional do sécçu... ou uma outra infinidade de coisas...
Pode ser amigo, ou parente... nossa vida infelizmente esta vinculada demais ao convívio social...

A evolução provou isso, o homem se dá melhor em grupo do que só...

Vamos desafiar anos de evolução? Tal qual os vegetarianos?
Prefiro ficar dentro do sistema!

Eliza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.